ROTEIRISTA

EMPREENDEDOR

Desconstruindo um Roteiro - Batman Begins

24.01.2016

 

 

Batman Begins foi escrito por David Goyer e dirigido por Christopher Nolan. O filme foi responsável por revitalizar a franquia Batman depois do sofrível Batman & Robin de Joel Schumacher e elevar o Homem Morcego a principal franquia da Warner Bros.

 

Ao ler o roteiro, podemos perceber como ele é claro em pintar a imagem do que vamos ver na tela. Percebemos também como Nolan foi fieal ao roteiro ao dirigir o filme, ilustrando com perfeição as descrições de Goyer. Lembre-se, o papel do roteirista é dizer O QUE acontece, o papel do diretor é mostrar COMO acontece.

 

Toda análise é subjetiva. As coisas que eu vejo e interpreto podem ser diferentes das suas. O importante é que você encontre o sentido dentro do texto e consiga aplicar as técnicas aos seus próprios trabalhos. Lembram que eu falei que o principal trabalho do roteirista é ler? Pois bem, ler, desconstruir e interpretar roteiros deve ser um de seus hobbies.

 

É também a chance de analisar o formato e a linguagem utilizada pelos profissionais. Assim você absorve os elementos que mais lhe agradam e cria seu próprio estilo, seu próprio jeito único de escrever, que vai te diferenciar dos demais roteiristas.

 

Então, sem mais delongas, vamos mergulhar no roteiro de Batman Begins. Clique Aqui para o roteiro on line, se quiser acompanhar de casa. O que segue abaixo é uma tradução livre do texto original.

 

 

BATMAN BEGINS

by

DAVID GOYER

 

 

TELA NEGRA, Um CHIADO BAIXO que se torna um GUINCHADO, que aumenta e aumenta até que- VERMELHO pisca na tela negra enquanto a tela ganha vida: Nuvens de MORCEGOS marcados em silhueta contra o céu vermelho... formando a densidade e forma de um enorme SIMBOLO de morcego. Mais morcegos em uma massa densa, inundando o símbolo, escurecendo a tela de volta a- TELA NEGRA. O BARULHO DISTANTE DE CRIANÇAS BRINCANDO que fica cada vez mais perto até que- LUZ DO SOL tremula na tela negra. Raios de sol por entre as árvores, correndo através de um Jardim. Um GAROTO perseguindo uma MENINA. O Garoto chega em uma ESTUFA vitoriana, para na porta, recupera o fôlego. Este é BRUCE WAYNE, 8 anos, e nós estamos no-

 

EXT. JARDIM, MANSÃO WAYNE – DIA

 

O JOVEM BRUCE espia sobre vasos de plantas enfileirados sobre a mesa.

 

JOVEM BRUCE

Rachel?

 

Sem resposta. A luz do sol reflete no ferro e vidro da estufa. Jovem Bruce avança com cuidado. Ele é AGARRADO por trás e puxado para debaixo da mesa pela jovem menina de 10 anos. Esta é RACHEL. Ela põe a mão sobre a boca de Bruce.

 

VOZ FEMININA (O.S.)

Rachel? Mestre Bruce?

 

Uma MULHER cruza a janela: SRA. DODSON, Mãe de Rachel e empregada da Mansão Wayne.

 

JOVEM BRUCE

(sussurrando)

O que você está fazendo?

 

RACHEL

Sequestrando você. Eles vão pagar uma fortuna

pelo precioso Brucie.

 

O Jovem Bruce a encara de olhos esbugalhados. Ela sorri. Ele relaxa. O Jovem Bruce dispara debaixo da mesa – CORRE para a porta dos fundos, Rachel corre atrás dele.

 

EXT. JARDIM ABANDONADO, MANSÃO WAYNE – CONTINUAÇÃO

 

O Jovem Bruce agacha junto a um POÇO ABANDONADO, espiando pela mureta de pedra enquanto Rachel procura por ele.

 

RACHEL

Bruce, Eu estou te vendo.

 

O Jovem Bruce segura o riso-- A madeira embaixo dos seus pés cede e ele DESPENCA DENTRO DO...

 

INT. POÇO ABANDONADO – CONTINUAÇÃO

 

O Jovem Bruce despenca 10 metros-- Cai dolorosamente sobre os escombros no fundo do poço.

 

EXT. JARDIM, MANSÃO WAYNE – CONTINUAÇÃO

 

Rachel escuta o barulho e corre na direção do poço.

 

RACHEL

BRUCE?!!

 

INT. POÇO ABANDONADO – CONTINUAÇÃO

 

O Jovem Bruce ergue a cabeça, gemendo entre a poeira, pedras e escombros.

 

EXT. JARDIM, MANSÃO WAYNE – CONTINUAÇÃO

 

Rachel corre em direção a Mansão.

 

RACHEL

MÃE!! SR. ALFRED!!

 

INT. POÇO ABANDONADO – CONTINUAÇÃO

 

O Jovem Bruce geme em choque. Ele escuta os GUINCHADOS-- Ele para, ENCARANDO a ESCURIDÃO em um espaço entre as rochas.

 

MORCEGOS explodem da abertura, tomando todo o ar. Bruce geme e se debate contra as asas batendo e os guinchados escuros.

 

Resolvi fazer a transcrição da cena de abertura do filme para mostrar como é importante fisgar seu leitor logo nas primeiras páginas.

 

O roteiro começa com a descrição do logo oficial do filme. Muitos podem discutir que isso não é função do roteirista, porém é sim de responsabilidade do roteirista de pintar um quadro claro do seu roteiro. Ele deve criar imagens poderosas, essa introdução, no caso, se tornou a marca registrada da franquia.

 

Uma curiosidade.Você sabia que a trilogia Batman de Christopher Nolan foi criada com base no ciclo do dia? Batman Begins, representa o por do sol, o início da btalha contra a escuridão que o herói deve enfrentar. O segundo, O Cavaleiro das Trevas, representa o caos da meia noite. A noite é sempre mais escura antes do amanhecer. O capítulo final da trilogia representa o nascer do sol, o raiar de um novo dia.

 

 

Mas voltando a cena inicial de Batman Begins. A cena tem duas páginas e nesse espaço mínimo, Goyer conseguiu muita coisa.

 

A primeira função da cena é identificar o nosso protagonista e o seu relacionamento com seu interesse romântico. A cena mostra Bruce e Rachel como amigos de infância. A cena também estabelece a relação entre os dois, Bruce sendo o filho do patrão e Rachel sendo a filha da empregada.

 

Percebemos também a preocupação de descrever o ambiente e o sentimento que ele provoca. Detalhes como a descrição dos raios de sol, ou até mesmo o estilo vitoriano da estufa estão presentes. Como vamos ver na cena seguinte, essa cena é um FLASHBACK, por isso Goyer utilizou de elementos estéticos para descrever o SENTIMENTO que essas lembranças tem no Bruce Wayne adulto.

 

É interessante também observar as pequenas diferenças entre o roteiro e o filme, como por exemplo, o sobrenome da personagem Rachel no filme é DAWES, mas vemos no roteiro que o sobrenome original da personagem era DODSON. Mudanças desse tipo, normalmente partem da produção. Uma hiótese é que existiam pessoas chamadas Rachel Dodson na América, e para evitar possíveis processos eles acabam mudando o nome do personagem. É mais comum do que vocês imaginam.

 

Por fim, a cena introduz o incidente traumático que mais tarde se torna essencial no nascimento do Batman.

 

Vamos seguir para a próxima cena.

 

Um ESTRONDO. Olhos verdes e maduros se abrem, acordando... na escuridão. Sujo, suado... nós estamos na--

 

INT. PRISAO BUTANENSE – MANHÃ

 

Os olhos pertencem ao barbudo e abatido rosto do homem. Bruce Wayne, 28 anos. Um VELHO HOMEM ASIÁTICO o encara sentado.

 

VELHO

Sonho?

 

WAYNE

Pesadelo.

 

VELHO

Pior que isso?

 

A cela é uma lata pequena. A luz se esgueira pelas frestas no teto. GRITOS ECOAM. Wayne da de ombros.

 

EXT. PÁTIO DA PRISÃO – MAIS TARDE

 

Wayne e o Velho se alinham na fila para a comida. PRISIONEIROS estao espalhados em pequenos grupos, todos os olhos em Wayne.

 

VELHO

Eles vão lutar com você.

 

WAYNE

Eu lutei com eles ontem.

 

VELHO

Eles vão lutar com você todos os dias até te matarem.

 

Wayne segura seu prato e observa enquanto a gororoba é despejada.

 

WAYNE

Será que eles podem me matar antes do café?

 

Wayne se afasta da mesa, seu caminho é bloqueado por um HOMEM ENORME, escoltado por seis Prisioneiros Raivosos. O Homem Enorme derruba o prato de Wayne.

 

HOMEM ENORME

(com sotaque)

Você está no inferno, homenzinho.

 

Ele da um SOCO em wayne, que cai com força.

 

HOMEM ENORME

...E eu sou o Diabo.

 

Wayne se levanta e sacode a poeira.

 

WAYNE

Você não é o Diabo...

 

O Homem Enorme desfere outro soco-- Wayne bloqueia seu punho, Chuta o joelho do Homem enorme pra fora do lugar, e enquanto o homem cai, Wayne chuta seu rosto.

 

WAYNE

...Você é treino.

 

Seis Prisioneiros partem para cima de Wayne todos de uma vez. Wayne luta com força e habilidade, jogando um prisioneiro contra o outro, Chutando enquanto seus braços são imobilizados. Vários prisioneiros beijam a lona até que-- TIROS-- Dois GUARDAS entram e separam a briga, atirando para o alto. Eles agarram Wayne.

 

GUARDA

Solitária!

 

WAYNE

(indignado)

Por que?

 

GUARDA

Para Proteção.

 

WAYNE

Eu não preciso de proteção.

 

O Guarda aponta com raiva para os prisioneiros inconscientes.

 

GUARDA

proteção pra eles.

 

 

Essa cena representa o MUNDO COMUM do nosso herói. É assim que ele se encontra no início da história. Perdido, sozinho, trancafiado em uma prisão no fim do mundo. Sua vida está estagnada e ele não sabe o que fazer para sair. Viive um dia depois do outro sem perspectiva.

 

A Cena também estabelece Brce Wayne adulto como um homem hábil, capaz de se defender e sobreviver mesmo sob as condições mais difíceis. Esse é o início da jornada do herói.

 

Percebam a forma do texto e a escolha das palavras. Mais uma vez, a cena tem apenas duas páginas e isso reflete no ritmo geral do roteiro. Cenas muito longas tendem a deixar o filme lento. É como compor uma música. Devemos constantemente procurar a cadência e o ritmo de nossas cenas para manter o leitor engajado.

 

INT. SOLITÁRIA, PRISÃO BUTANENSE – MOMENTOS DEPOIS

 

Wayne é jogado dentro da cela escura. A porta BATE.

 

VOZ (O.S)

Eu constantemente encontro pessoas ricas

em lugares escuros.

 

A voz é maliciosa, européia. Vem de um canto escuro da cela.

 

WAYNE

Eu pensei que o objetivo da solitária

fosse a solidão.

 

Wayne consegue identificar a silhueta do homem sentado nas sombras.

 

HOMEM

Esses homens o confundiram com um criminoso,

Sr. Wayne.

 

Wayne reage quando escuta seu nome. O homem avançca em diração a luz. Postura poderosa, distinto, em um terno bem cortado com gravata.

 

WAYNE

Quem é você?

 

MAN

Meu nome é simplesmente Ducard, mas eu falo

em nome de Ra's Al Ghul. Já ouviu falar do nome?

 

WAYNE

Eu escutei as lendas. Mestre guerreiro, Mercenário internacional,

temido por todo o submundo. Alguns dizem até

que ele é imortal.

 

DUCARD

(sorri)

Ra's Al Ghul usa a teatricalidade e ilusão como

armas poderosas.

 

DUCARD se aproxima de Wayne, olha fixamente em seus olhos.

 

DUCARD

Você não passou despercebido. Um homem como você

está aqui por escolha própria, ou porque

está realmente perdido.

 

Os olhos de Wayne evitam o olhar penetrante de Ducard.

 

DUCARD

Ra's Al Ghul e sua Liga das Sombras oferecem um

caminho para aqueles de manter o

nosso código.

 

WAYNE

Código? Vocês não são criminosos?

 

DUCARD

Um criminoso é simplesmente um homem

que outra pessoa acha...

(olha em volta)

… que deveria estar na prisão.

 

Wayne concorda.

 

DUCARD

Esse mundo é dominado por tiranos, burocratas corruptos.

O nosso código respeita apenas a ordem natural

das coisas-- Nós não somos sujeitos a sua

hipocrisia. E você?

 

Ducard caminha para a porta e bate. Um Guarda abre.

 

DUCARD

Tem uma flor rara que cresce nas montanhas do leste.

Amanhã você vai ser libertado. Pegue uma dessas flores.

Se você conseguir carregá-la até o topo da montanha,

talvez você encontre o que está procurando.

 

WAYNE

E o que eu estou procurando?

 

Ducard olha para Wayne com um brilho nos olhos.

 

DUCARD

Propósito.

 

A porta BATE, deixando Wayne sozinho na escuridão.

 

 

 

Essa é a cena onde Bruce CONSULTA O MENTOR. O Mentor é a figura que oferece um caminho, uma saída para que o protagonistapossa quebrar sua rotina e começar a sua jornada. Observem que a cena não poderia ser mais óbvia que isso, Ducard LITERALMENTE oferece um caminho e uma saída para Bruce Wayne. Um objetivo a se perseguir.

 

Outro ponto importante que deve ser frizado, é que o roteiro, como vocês podem ver, foi editado de forma não linear. A primeira cena serve como um prólogo, um flashback que serve de backstory para nos ajudar a entender melhor as motivações do herói. Na próxima cena, vamos retomar o flashback, que vai ter um impacto decisivo na história.

 

Interessante observar comcomo o diálogo mudou do roteiro para a versão final do filme. Embora o sentido da cena continue o mesmo, o diálogo final foi encurtado em uma versão mais direta.

 

INT. POÇO ABANDONADO, MANSÃO WAYNE – DIA (FLASHBACK)

 

Silêncio. O Jovem Bruce deitado, imóvel, exausto, gemendo baixo.

 

VOZ MASCULINA (O.S)

Bruce?

 

O Jovem Bruce olha para cima. Uma FIGURA, de sobretudo, descendo lentamente pelo poço... THOMAS WAYNE, pai de Bruce.

 

EXT. JARDIM, MANSÃO WAYNE – MOMENTOS DEPOIS

 

Thomas carrega seu filho em direção a casa. Ao seu lado, um homem de 50 anos em um terno sóbrio calmamente recolhe a corda usada para resgatar o Jovem Bruce. Este é ALFRED.

 

ALFRED

Quer que eu chame uma ambulância,

Mestre Wayne?

 

THOMAS

Nós temos o necessário para consertar

o osso. Eu o levo para um Raio-X depois.

 

ALFRED

Muito bem, Senhor.

 

Eles passam por Rachel, olhos cheios d'água, de pé ao lado da mãe.

 

INT. HALL, MANSÃO WAYNE – CONTINUAÇÃO

 

Thomas carrega Bruce pelas escadas principais. A casa é vasta e grande, cheia de flores e vida. A mãe de Bruce, MARTHA, aparece na sacada, preocupada.

 

THOMAS

(tranquilizando)

Ele vai ficar bem.

 

INT. QUARTO DO BRUCE, MANSÃO WAYNE – DEPOIS

 

Alfred anda até a cabeceira da cama e olha para o jovem Bruce.

 

ALFRED

Foi uma queda e tanto, não?

 

O jovem Bruce olha para Alfred e esboça um sorriso discreto.

 

ALFRED

A por que nós caímos, Mestre Bruce?

 

Alfred arruma as cortinas, Bruce não fala nada.

 

ALFRED

Para que possamos aprender a nos levantar

 

Alfred sorri e fecha as cortinas...quando...

 

 

Aqui temos mais uma curiosidade do roteiro. Duas cenas presentes no roteiro, mas que no filme foram comprimidas em uma única cena. Se você assistir ao filme, vai percereb que é o PAI de Bruce, THOMAS, quem fala alição sobre cair e levantar. No roteiro, Goyer quis estabelescer desde cedo a relação de segundo pai que Bruce tinha com Alfred, mas as cenas acabaram se transformando em uma só, e o payoff de Alfred, dando a mesma lição para Bruce vai vir mais adiante na história.

 

Outro elemento que foi adicionado no filme, foi a PONTA DE FLECHA que Bruce e Rachel encontram no jardim, e que no momento qme uqe Bruce é carregado pra dentro, ele gentilmente põe a ponta da flecha nas mãos de Rachel.

 

Esse objeto, que representa um laço afetivo entre os dois personagens também é um setup, para um payoff futuro. Detalhes como esse que são adicionadas nos tratamentos futuros, ou até mesmo no filme vêm para enriquecer a experiência e dar mais profundidade a trama.

 

Uma DESLUMBRANTE FLOR AZUL... e estamos no...

 

EXT. MONTANHA DO HIMALAIA – DIA

 

Um campo de flores azuis, Wayne se aproxima. Pega uma delas. Uma flor de um azul brilhante e belo em meio a paisagem gelada.

 

EXT. PEQUENO VILAREJO, HIMALAIA – DIA

 

Wayne, exausto, com frio e com fome, escala com dificuldades as ladeiras. Quando os locais o vêem, fecham as portas e janelas e se recolhem dentro de suas cabanas.

 

CRIANÇA (O.S.)

Ninguém vai te ajudar.

 

Wayne se vira para ver uma CRIANÇA olhando para ele. A criançca aponta para a flor azul no colarinho de Wayne. Um HOMEM VELHO aparece ao lado da criança.

 

WAYNE

(fraco)

Eu preciso de comida.

 

HOMEM VELHO

Então, volte.

 

Wayne olha para o Homem velho enquanto ele entra em sua cabana e continua sua escalada.

 

EXT. MONTANHA – DIA

 

Wayne se esforça entre a NEVASCA escalando uma PAREDE DE GELO...

 

Ele escala a parede e se joga sobre a neve, dolorido. Lentamente ele ergue seu rosto coberto por um cachecol para se proteger do vento congelante e vê um MONASTÉRIO erguido em meio a neve.

 

CRUZANDO O HORIZONTE. Essa cena representa o início da jornada do Herói. O protagonista sai de seu mundo comum e inicia sua jornada para o mundo extraordinário da história. Essa transição é mostrada como um caminho difícil e doloroso e mais uma vez reforça a força de vontade do herói.

 

EXT. MONASTÉRIO, HIMALAIA – DIA

 

Wayne escala os degraus para a enorme porta do monastério. Um punho enfaixado, machucado de frio bate na porta coberta de gelo, batidas ECOANDO no ar.

 

Nada. Wayne apoia sua testa na porta, Ombros pra baixo, derrotado, batendo cada vez mais rápido.

 

Um BARULHO vem lá de dentro. Wayne para, ajeita sua postura. A porta se abre. Dentro, apenas escuridão.

 

INT. SALÃO PRINCIPAL, MONASTÉRIO – CONTINUAÇÃO

 

Wayne entra no salão. Teto baixo de madeira, pobremente iluminado por lâmpadas oscilantes. Mãos tremendo. Wayne retira seu cachecol enquanto a porta BATE atrás dele.

 

No fundo do salão, em uma plataforma superior, está sentada a figura vestida em mantos. RA'S AL GHUL. Wayne caminha na direçãod ele....

 

WAYNE

R'as Al Ghul?

 

GUERREIROS ARMADOS de todas as raças emergem das sombras. Arcos, machados, espadas... NINJAS. Wayne pára.

 

DUCARD (O.S.)

Espere.

 

Os Guerreiros esperam.Wayne olha para a fonte da voz. Ducard está apoado em um dos pilares.

 

Wayne alcança dentro de suas roupas e puxa a pequena FLOR AZUL e a segura, mãos tremendo.

 

Ra's Al Ghul começca a falar em Urdu. Ducard faz a tradução.

 

DUCARD

Medo tem sido o seu guia. Mas agora você

deve avançar ou o medo o manterá de joelhos.

Nós o ajudaremos a conquistar o seu medo. Em

troca, você vai renunciar as cidades dos homens.

Você viverá em solidão. Você será um membro

da Liga das Sombras, e você se ficará sem medo.

 

Ducard pega a flor, suas delicadas pétalas azuis.

 

DUCARD

Você está pronto pra começar?

 

Ducard prende a flor no botão de sua lapela. Wayne olha para Ducard, tremendo de fome e frio.

 

WAYNE

Pronto? Eu mal consigo--

 

Ducard o chuta, Wayne cai no chão.

 

DUCARD

A morte não espera que você esteja pronto.

 

Wayne se debate, Ducard o atinge mais uma vez, nas costelas.

 

DUCARD

A morte não tem consideração, ou justiça.

E não se engane. Hoje, a morte é o seu oponente.

 

Ducard se vira – gira sua perna em um chute mortal endereçado ao pescoço de Wayne.

 

-Mas wayne bloqueia o chute com seu antebraço. Ele encara Ducard com os olhos em ardendo em ódio. Ducard sorri.

 

Wayne se levanta e assume posição de guarda. Ducard ataca, Wayne defende e se esquiva, levando seu corpo para além da dor, em uma série de golpes habilidosos.

 

DUCARD

Garra do Tigre... Jiu Jitsu...

(Ducard sorri)

Habilidoso, mas isso não é uma dança.

 

Ducard agarra Wayne, que se debate, morde e se defende como pode. Ele está enfurecido.

 

DUCARD

Encarando a morte é quando você

se da conta da verdade.

 

Ducard atinge Wayne com uma cabeçada. Wayne vai ao chão.

 

DUCARD

Você é fraco.

 

Ducard pisa na virilha de Wayne.

 

DUCARD

Você está sozinho.

 

Ducard atinge o queixo de Wayne, nocuteando ele de vez.

 

DUCARD

E você está com medo...

 

Durard se agacha ao lado de Wayne e olha em seus olhos embaçados.

 

DUCARD

(curioso)

Mas não de mim.

 

Ducard pega a flor em sua lapela e a repousa de volta sobre o peito de Wayne. Ele sussurra em seu ouvido.

 

DUCARD

Diga-nos, Wayne...

 

BATIDAS DE ASAS VIOLENTAS, GUINCHADOS E RUIDOS. UM ENXAME DE MORCEGOS.

 

DUCARD

(sussurra)

Do que você tem medo?

 

 

 

INIMIGOS, ALIADOS E DESAFIOS. Aqui o herói deve enfrentar os primeiros desafios da sua jornada. Ele conhece seus novos aliados e seu oponente. Mais uma vez, Goyer é preciso nos elementos básicos da jornada do herói. É uma amostra do que o herói vai enfrentar mais a frente. Estamos 10 páginas dentro do roteiro e muita história já foi contada.

 

Os olhos do Jovem Bruce se abrem de repente, e estamos no...

 

INT. QUARTO DO BRUCE, MANSÃO WAYNE – NASCER DO SOL (FLASHBACK)

 

O Jovem Bruce, respirando com dificuldade, A luz ilumina a roupa de cama. Bruce olha para a porta, seu pai, THOMAS está lá.

 

THOMAS

(gentilmente)

Morcegos de novo?

 

O jovem Bruce concorda com a cabeça. Thomas se aproxima e senta na cama.

 

THOMAS

Você sabe por que eles te atacaram, não sabe?

Eles estavam com medo de você.

 

JOVEM BRUCE

Com medo de mim?

 

THOMAS

Você é muito maior que um morcego, não é?

Todas as criaturas sentem medo.

 

JOVEM BRUCE

(sorrindo)

Mesmo as assustadoras?

 

Tomas sorri e leva a mão ao bolso do roupão.

 

THOMAS

Especialmente as assustadoras.

(pausa)

Aqui, deixe-me te mostrar uma coisa.

(pausa)

Mas você não pode contar pra ninguém, certo?

 

O Jovem Bruce concorda ansioso. Thomas puxa uma longa caixa de jóias e a abre. Um COLAR DE PÉROLAS brilha sob a meia luz.

 

THOMAS
É pra sua mãe.

 

O jovem Bruce sorri, Thomas sorri de volta e fecha a caixa de repente.

 

INT. TREM ELEVADO (MONOTRILHO) – NOITE

 

O Jovem Bruce observa toda a glória de Gotham passar pelas janelas. Seus pais ao seu lado, todos bem vestidos. Martha acaricia suas pérolas enquanto olha para Thomas.

 

JOVEM BRUCE

Você construiu esse trem, Pai?

 

THOMAS

Seu Bizavô construiu os primeiros trens de Gotham.

A cidade tinha sido boa para a nossa família- Era hora

de dar algo em troca.

 

Thomas desenha um circulo na condensação da janela.

 

THOMAS

Um novo sistema de transporte público para

toda a cidade.

 

Thomas desenha linhas cortando o círculo, transformando-o em uma RODA. Ele aponta o centro do diagrama e aponta para fora da janela para um enorme arranha-céu de 1930.

 

THOMAS

E no centro... A Torre Wayne..

 

EXT, GOTHAM – CONTINUAÇÃO

 

O Monotrilho vira para dentro do círculo e segue para a estação central, na base da Torre Wayne.

 

INT. ESTACAO DE TREM, ESTAÇÃO WAYNE – MOMENTOS DEPOIS

 

O Jovem Bruce observa a MAGNÍFICA ESTAÇÃO. Ele olha para cima através do teto de vidro e vê a Torre Wayne se erguendo acima. MÚSICA DE ORQUESTRA aumenta, e estamos no...

 

INT. TEATRO DE OPERA, GOTHAM – DEPOIS

 

Um teatro lotado com os mais ricos e importantes de Gotham. O Jovem Bruce, sentado entre seus pais. No palco, criaturas horripilantes dançcam. Pássaros negors descem, pendurados em cabos, asas batendo.

 

O Jovem Bruce observa com medo seus gestos violentos.

 

INSERT: MORCEGOS INVADEM A TELA.

 

O Jovem Bruce começa a respirar com dificuldae, encarando o palco fixamente.

 

GUINCHADOS, ASAS BATENDO, MORCEGOS NEGROS POR TODAS AS PARTES...

 

O Jovem Bruce, engasgado em pânico respira e olha em volta procurando pela saída.-- Eles estão no meio de uma fileira. Ele agarra seu Pai pelo braço.

 

JOVEM BRUCE

(Sussurro desesperado)

Podemos ir?

 

Thomas olha para oseu filho, confuso. Martha olha para ele. O Jovem Bruco olha para o pai, IMPLORANDO. Thomas concorda. Eles abrem espaço pela fileira, Thomas se desculpando enquanto passa.

 

EXT. BECO, TEATRO DE OPERA, GOTHAM – CONTINUAÇÃO

 

Os Wayne emergem do teatro pelo beco lateral. Martha se agacha ao lado de Bruce, mas ele não encontra o olhar dela. Olha para baixo, envergonhado.

 

MARTHA

Bruce, qual o problema?

 

THOMAS

Ele está bem.

 

Martha olha para cima. Thomas dá a ela um olhar conspiratório.

 

THOMAS

Eu só precisava de um pouco de ar. Essa ópera

é muito longa. Certo, Bruce?

 

O Jovem Bruce olha para o seu pai, que pisca o olho para ele. O jovem Bruce sorri, agradecido.

 

THOMAS

Vamos lá.

 

Thomas, casaco sobre o braço, guia sua família pelo beco escuro em direção ao brilho iluminado da avenida principal.

 

Uma FIGURA emerge das sombras na frente deles, um HOMEM com uma ARMA, treme enquanto aponta.

 

HOMEM

Carteira, jóias, rápido!

 

Thomas

(calmo)

Tudo bem. Vai com calma.

 

Thomas entrega seu casaco para o jovem Bruce e alcançca sua carteira. O Homem aponta a arma para os olhos de Thomas. Bruce olha com medo enquanto as mãos do homem tremem de nervoso.

 

THOMAS

Aqui está.

 

O Homem pega a carteira, mas suas mãos tremendo a derrubam sem querer. O homem olha para a carteira e depois de volta para Thomas, assustado.

 

THOMAS

Tudo bem, tudo bem.

 

O Homem se abaixa para pegar a carteira, olhos fixos em Thomas.

 

THOMAS

Pode pegar e vá embora.

 

O Homem pega a carteira e olha para o colar de Martha.

 

HOMEM

Eu disse Jóias!

 

Martha começa a retirar seus anéis, o Homem aponta a arma para o pescoço dela. Thomas toma a frente tentando protejer a esposa.

 

THOMAS

Ei, apenas--

 

BOOM! O jovem Bruce se protege. Thomas olha para baixo, seu peito ensanguentado, e então de volta ao homem, com tristeza.

 

Thomas cai, Martha grita. O homem alcança as pérolas de Martha- mas ele apenas grita por Thomas.

 

MARTHA

THOMAS!!! THOMAS!!!

 

HOMEM

Me dê as malditas--

 

Mas Martha tenta segurar o seu marido.

 

O Homem ATIRA nela e puxa com força as pérolas de seu pescoço, espalhando as jóias pelo asfalto.

 

O homem se vira e encara o Jovem Bruce, que o olha sem entender o que está acontecendo. O homem não suporta o olhar do garoto.

 

Ele CORRE. O Jovem Bruce olha para os corpos de seus pais no chão. Cai de joelhos, olhos baixos. Pérolas espalhadas no asfalto, atrás dele. Algumas sujas de sangue.

 

O jovem Bruce encara o vazio, tremendo.

 

INT. DELEGACIA DE POLICIA – NOITE

 

CAOS: Repórteres e policiais se empurram por uma amostra do crime da década. No Escritório do Capitão, o Jovem Bruce, desconsolado, esquecido, ainda agarrado ao casaco de seu pai.

 

VOZ MASCULINA (O.S.)

Isso é do seu pai?

 

O jovem Bruce olha para cima, um jovem policial abatido olha para ele. JIM GORDON, 29. Gordon se agacha e alcança o casaco, mas Bruco segura com força, protegendo o casaco.

 

GORDON

(consolando)

Tudo bem...

 

O Tom de voz de Gordon compele Bruce a confiar nele. Gordon pega o casaco e o coloca gentilmente sobre os ombros de Bruce.

 

VOZ MASCULINA (O.S.)

Gordon! Você tem que se meter em tudo?

 

Gordon se vira e CAPITÃO LOEB o encara.

 

CAPITÃO LOEB

Pra longe da minha vista!

 

Gordon cumprimenta Bruce antes de sair. Os olhos de Bruce queriam que ele ficasse. Gordon sai. Loeb se ajoelha em frente a Bruce.

 

CAPITÃO LOEB

Boas notícias. Nós o pegamos.

 

Bruce olha para ele, com seu olhar confuso.

 

EXT. JARDIM, MANSÂO WAYNE – DIA

 

A neve cai sobre duas covas abertas. Os convidados se dispersam guiados pela SEGURANÇA. Alfred está de pé com o jovem Bruce. Um homem se aproxima. EARLE, 47. Ele cumprimenta Alfred e se abaixa.

 

EARLE

(se referindo a Alfred)

Você está em boas mãos, Bruce. E nós vamos

cuidar do império. Quando você crescer,

estará te esperando.

 

O jovem Bruce olha para Earle sem expressão.

 

INT. MANSÂO WAYNE – MAIS TARDE

 

Os convidados se enfileiram nos portões. Rachel anda com sua mãe. Ela olha para a janela do segundo andar e vê jovem Bruce observando. Ela acena para ele. Jovem Bruce pausa por um momento, mas acena de volta.

 

INT. QUARTO DO BRUCE, MANSÃO WAYNE – CONTINUAÇÃO

 

Alfred entra no quarto e olha com ternura para o Jovem Bruce, que olha pela janela.

 

ALFRED

Eu pensei em preparar um pequeno jantar.

 

Sem resposta. Alfred se vira.

 

ALFRED

Muito bem.

 

JOVEM BRUCE (O.S.)

Alfred?

 

Alfred se vira de volta. Jovem Bruce olha para ele com os olhos transbordando em lágrimas, escorrendo pelas sua bochechas. Alfred chega a inclinar a cabeça.

 

ALFRED

(voz fraca)

Mestre Bruce?

 

JOVEM BRUCE

Foi minha culpa, Afred.

 

Alfred abre a boca, surpreso.

 

JOVEM BRUCE

Eu fiz eles sairem do teatro--

 

ALFRED

Não, não, não, não-

 

Alfred vai até o jovem Bruce e o envolve em seus braços.

 

JOVEM BRUCE

Se eu não tivesse me assustado-

 

ALFRED

Não, não, Mestre Bruce. Nada do que você fez, Nada que

qualquer pessoa tenha feito justifica o que aquele homem

fez.

 

Alfred afasta o jovem Bruce para poder olhar em seus olhos.

 

ALFRED

A culpa é dele, e apenas dele.

Você entende?

 

O Jovem Bruce concorda e então enterra seu rosto no peito de Alfred, soluçando.

 

JOVEM BRUCE

Eu sinto saudades Alfred.

Tantas saudades.

 

ALFRED

(sussurrando)

Eu também, Mestre Bruce. Eu também.

 

Lágrimas correm pelo rosto de Alfred enquanto ele abraça o garoto e observa os flocos de neve caindo na janela.

 

 

 

Aqui temos o PAYOFF da cena inicial e a sequência lógica de acontecimentos que serviram para criar a base do nosso herói. O evento que criou o trauma, o trauma que criou o medo, o medo o faz sair do teatro e isso faz seus pais morrerem. Como podem perceber, uma cena depende da outra e se tirarmos qualquer uma delas, a sequência lógica deixa de fazer sentido. Nesse momento, todos os flasbacks do filme se pagam, já que o que eles mostram são de vital importância para compreender o restante da história. Essa cena marca o fim do PRIMEIRO ATO. A partir daí, vamos acompanhar a jornada de BRUCE WAYNE e seu treinamento até o MIDPOINT.

 

No MIDPOINT, Bruce volta para Gotham e começa a preparar o nascimento do BATMAN. Blake snyder se refere a essa parte do filme como FUN & GAMES. Essa é a parte divertida do filme, onde o protagonista usa suas habilidades e tenta encontrar o seu caminho.

 

O segundo ato é quebrado do Midpoint em diante, quando Ra's Al Ghul chega em Gotham e ameaça destruir a cidade. Blake Snyder chama a segunda metade do segundo ato de BAD GUYS CLOSE IN, se referindo que é a parte onde os inimigos fecham o cerco em cima do herói. É a hora onde a coisa começa a ficar séria.

 

O SEGUNDO ATO termina quando Ra's Al Ghul destrói a mansão Wayne. Esse é tamb´m o momento onde TUDO ESTÁ PERDIDO. O herói sofre uma falsa derrota que o faz quase desistir. No caso, a mansão é destruída e Bruce acha que ele acabou com o legado de sua família, mas é obrigado a deixar o sentimento de lado se quiser salvar Gotham.

 

No Clímax, Batman e Gordon enfrentam o Espantalho e Ra's Al Ghul em Gotham. A batalha é grande e Batman consegue derrotar Ra's Al Ghul antes que ele pudesse destruir a cidade.

 

A RESOLUÇÃO, também referida como NOVO EQUILÍBRIO mostra a nova realidade do herói. Ao invés de um homem perdido e tormentado do começo do filme, temos agora um homem decidido e obstinado a reconstruir não só sua vida, mas toda a cidade de Gotham.

 

Eu convido vocês a continuarem a análise nos atos seguintes e busquem encontrar o significado por trás de cada cena, o peso dramático por trás de cada diálogo. Identifique os SETUPS e PAYOFFS do roteiro e entenda quais os efeitos de cada um.

 

Se você gostou, deixa a sua curtida na fanpage do Roteirista Empreendedor no Facebook e deixe um comentário dizendo que roteiro você gostaria de ver analisado pelo Roteirista Empreendedor.

Please reload

O MELHOR PONTO DE PARTIDA

PARA NOVOS ROTEIRISTAS

Contato

Av. Bernardo Vieira de Melo, 2143 lj 07 

cxpst 023, Jaboatão dos Guararapes-PE

54410-010

roteiristaempreendedor@gmail.com

  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca Ícone Instagram

© Copyright 2015 Roteirista Empreendedor

Labonia Photo & Video LTDA. - www.roteiristaempreendedor.com

Contato Imprensa e Apoio - roteiristaempreendedor@gmail.com