ROTEIRISTA

EMPREENDEDOR

Voz Ativa VS Voz Passiva - Saiba a Diferença.



As palavras são nossas armas, e quanto maior for seu arsenal, mais poderoso você é. E não se trata apenas de conhecer palavras novas, é preciso saber como usá-las e principalmente, o que cada uma significa.


Hoje nós vamos falar de um vício de linguagem muito comum em roteiristas iniciantes, e isto é o excesso de voz passiva em seus textos.


Para os que não conhecem o termo voz ativa/voz passiva, vamos recapitular o que isso significa e quais são os resultados na narrativa?


Voz ativa é normalmente mais direta e denota o protagonismo do sujeito da frase.


Eu sempre vou lembrar da minha primeira visita ao Rio.


Isso é voz ativa, e é muito melhor do que...


Minha primeira visita ao Rio vai ser para sempre lembrada por mim.


Essa voz passiva é menos direta e muda o sujeito da frase.


Na primeira frase, "Eu" é o sujeito e é ele quem AGE, quem EXECUTA A AÇÃO.


Na segunda, o "Eu" sujeito já não existe mais. A primeira visita ao Rio passa a ser o foco da frase. O protagonismo foi alterado. Percebe a diferença?


Na narrativa isso tem um efeito devastador, já que a frase não reforça o protagonismo do personagem, tornando-o apenas um objeto da história ao invés do fio condutor.


Mas vamos pensar em termos práticos. Será que esse "pequeno vício" de linguagem pode ser prejudicial para a carreira de um roteirista?


Imagine a seguinte cena:


EXT. BOATE - NOITE

ANA é jogada para fora da boate e seu sapato é perdido no processo.


O roteirista achou que pelo fato da frase começar com ANA estava escrevendo em voz ativa, quando na verdade, o sujeito da ação está oculto. Ana foi jogada POR QUEM?


Se essa cena chega nas mãos da produção, no dia da filmagem, você vai ter a atriz que interpreta ANA tendo que se jogar pra fora da Boate, porque não vai ter ninguém lá pra jogar ela.


Acontece que o orçamentoo é baseado no que você coloca no roteiro. Cada personagem custa um valor, um cachê que você precisa pagar para o ator. O uso da voz passiva aí em cima omitiu um personagem essencial para a cena, e agora, no dia da filmagem, a única solução é usar um Assistente de Direção como SEGURANÇA DA BOATE e tentar adaptar.


Agora se a cena é escrita em voz ativa:


EXT. BOATE – NOITE

O SEGURANÇA joga ANA para fora da Boate. Ela cai no chão e perde seu sapato.


Mas isso não significa que o roteirista deva abandonar de vez o uso da voz passiva. Ela as vezes é necessária.


Depois do incêndio a casa foi restaurada.


A casa foi restaurada POR QUEM? Nesse caso, não interessa. O que importa é que a casa foi restaurada. Isso porque o operário específico que restaurou a casa não faz parte da história, por isso não precisa ter protagonismo algum.


E aí? Entendeu a diferença entre voz ativa e voz passiva? Fique ligado nisso a partir de agora e releia seus textos em busca de exemplos de voz passiva e tente trocá-los por voz ativa, se for o caso.


E mandem suas dúvidas e questionamentos, deixe seu comentário ou mande um e-mail.



O MELHOR PONTO DE PARTIDA

PARA NOVOS ROTEIRISTAS

Contato

Av. Bernardo Vieira de Melo, 2143 lj 07 

cxpst 023, Jaboatão dos Guararapes-PE

54410-010

roteiristaempreendedor@gmail.com

  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca Ícone Instagram

© Copyright 2015 Roteirista Empreendedor

Labonia Photo & Video LTDA. - www.roteiristaempreendedor.com

Contato Imprensa e Apoio - roteiristaempreendedor@gmail.com