ROTEIRISTA

EMPREENDEDOR

Seu filme é sobre o quê?

13.06.2017

 

Você terminou seu primeiro roteiro.

 

É apenas um primeiro tratamento, não tá nada demais. Mas você já conhece os personagens, já sabe o que acontece no início, no meio e no fim, e conseguiu descrever o que os atores deverão fazer em frente às câmeras por cento e poucas páginas.  Você se sente até um roteirista de verdade.

 

Não se aguentando de orgulho, a palavra se espalha entre seus mais próximos e invariavelmente alguém tasca aquela pergunta sobre o roteiro que você alega ter escrito.

 

"Seu filme é sobre o quê?"

 

O roteirista que nunca se enrolou na hora de explicar seu próprio filme não sabe o que é sofrimento. As palavras vêm à mente e você até se lembra do nome dos seus personagens direitinho, mas quando para para ouvir as próprias palavras tem a impressão de que suas ideias parecem muito mais idiotas do que quando você as bolou na primeira vez. Gagueiras instantâneas são também muito comuns. 

 

A pessoa alvo da sua empreitada ouve tudo com um sorriso meio amarelo. Você termina a sua explicação, mas a demora da pessoa em entender todos os importantíssimos detalhes da sua narrativa pode ter atrapalhado um pouco a sua performance.

 

Se é difícil explicar o seu filme a um amigo ou a um familiar, imagine a dificuldade de convencer um produtor a investir centenas de milhares de reais na produção daquele seu roteiro sensacional que está há meses habitando o seu pen-drive.

 

É por isso que você, como roteirista e principal responsável pela história, tem que conhecê-la ta ponto de ser capaz de encapsular toda a sua história em uma ou duas frases.

 

No mundo do cinema, essa descrição é conhecida como logline.

 

Escrever loglines não é uma tarefa fácil. Exige paciência e inúmeras reescritas até que você seja capaz de explicar sobre o que o seu filme realmente é. Nos primeiros anos de Hollywood, todos os roteiros continham a logline na capa, como forma de facilitar aos produtores descartarem aqueles que não pareciam muito interessantes. Ninguém mais coloca as loglines em scripts, mas elas continuam sendo a forma mais eficiente de se conseguir a atenção de alguém em um elevador de um estúdio.

 

Um exemplo:

 

"Um xerife é obrigado a caçar um tubarão para proteger os habitantes de uma cidade praiana."

 

 

Qualquer pessoa que já assistiu o clássico de Spielberg de 1975 "Tubarão" reconhece o filme na hora. É simples de se resumir e não precisa de muitos detalhes para evocar a atenção do seu alvo. Com uma ou duas frases você percebe que seu alvo está interessado e quer saber mais sobre a sua história.
 

O guru Blake Snyder, autor do manual de roteiro Save the Cat, costuma se referir às loglines como o DNA do seu filme, e eu concordo plenamente. Conseguir construir uma boa logline mostra que você possui um profundo conhecimento sobre a essência do seu filme, e isso vai refletir nos próximos tratamentos fazendo a sua história bem melhor.

 

Mas quais são os principais elementos de uma logline? Na internet há dúzias de técnicas de se escrever uma logline perfeita. Todas possuem o seu valor como ferramentas, e a maioria se resume a estruturar em uma ou duas frases elementos da sua narrativa. Um PERSONAGEM, tentando enfrentar um PROBLEMA (ANTAGONISTA), em busca de um OBJETIVO.

 

Filmes de grande apelo comercial costumam ser fáceis de ser encapsulados. Snyder argumenta no sentido de que quanto mais apelo comercial uma ideia tem, mais fácil de se destilar a sua logline. O contrário também é verdadeiro: quanto mais bem definida a sua logline, mais apelo comercial a sua ideia tem.

 

Vejamos outros exemplos:

 

O PODEROSO CHEFÃO:

O idoso patriarca de uma dinastia criminosa transfere o controle de seu império clandestino ao seu filho hesitante.

 

PULP FICTION

As vidas de dois mafiosos, um boxeador, a mulher de um gângster e um casal de ladrões de estrada se entrelaça em quatro histórias de violência e redenção.

 

MATRIX

Um hacker conhece rebeldes misteriosos que lhe ensinam sobre a natureza de sua realidade e seu papel em um mundo controlado pelas máquinas.

 

SILÊNCIO DOS INOCENTES

Uma jovem agente do FBI tem de confiar em um psicopata condenado para encontrar um assassino que esfola as suas vítimas.

 

SE BEBER NÃO CASE

Três padrinhos perdem o noivo na despedida de solteiro e têm que relembrar os eventos da noite anterior para encontrar o noivo a tempo de seu casamento.

 

Vale frisar que este é um excelente exercício para qualquer roteirista. Encontre suas histórias favoritas e resuma seu conteúdo a uma ou duas frases no máximo. Se não conseguir da primeira vez, reescreva até conseguir. Afinal, assim como a arte de contar histórias em si mesma, encontrar a logline perfeita é uma arte que exige horas de prática e dedicação para ser aperfeiçoada. No início vai ser difícil, mas como tudo na vida, é praticando que se aprende.

 

O mais importante não é o formato da sua logline. O importante é que ela seja capaz de evocar o interesse do leitor em potencial do seu script. Seja seu melhor amigo, seja um produtor engravatado com capacidade de lhe transferir milhões de dólares com um aperto de botão.

 

E você? Já sabe dizer sobre o que é o seu filme? Tente encontrar a essência da sua história, e para isso, cave fundo.

 

Quando achar que tiver encontrado, mande a sua logline nos comentários.

 

Até a próxima.

 

Gus Grizendi.

Please reload

O MELHOR PONTO DE PARTIDA

PARA NOVOS ROTEIRISTAS

Contato

Av. Bernardo Vieira de Melo, 2143 lj 07 

cxpst 023, Jaboatão dos Guararapes-PE

54410-010

roteiristaempreendedor@gmail.com

  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca Ícone Instagram

© Copyright 2015 Roteirista Empreendedor

Labonia Photo & Video LTDA. - www.roteiristaempreendedor.com

Contato Imprensa e Apoio - roteiristaempreendedor@gmail.com