ROTEIRISTA

EMPREENDEDOR

O Jogo dos 7 Medos

08.08.2017

Ao criar histórias que realmente se conectam com o público, é preciso entendê-lo antes de mais nada. Entender o público é entender a condição e a mente humana, é saber o que faz a gente ser o que é, por que a gente pensa o que pensa, por que a gente tem medo do que tem. Como eu sempre falo aqui no blog, o roteirista é um manipulador de emoções e seu trabalho é fazer com que as pessoas sintam.

 

No caso de filmes de horror, existe um fator determinante para o sucesso ou fracasso do filme: o medo. A forma como você aborda o horror e a forma como você trata o público é crucial no sucesso ou fracasso do seu roteiro.

 

Por isso, grandes mestres do horror descobriram logo no início de seus estudos que os medos e fobias das pessoas podem ser traçados de volta a infância, e que grande parte desses medos surgem de sete fobias que a maioria das crianças possui. Essas fobias foram chamadas de Os Sete Medos Fundamentais e quando você consegue se conectar com qualquer um desses medos na mente do espectador, você vai dar a ele uma experiência inesquecível.

 

Vamos estudar e aprender os sete medos fundamentais.

 1. ESCURO.

Todo mundo que já foi criança sabe que o escuro é um convite para o medo. Quem nunca dormiu de luza acesa? Quem nunca deu aquela corridinha na volta do banheiro de madrugada? Eu costumava ir para a cozinha assobiando, pois achava que anunciando minha presença os fantasmas iam embora. Grandes obras conseguem explorar esse medo como ninguém. "Lights Out" é um deles. Ou quem sabe "Don't Breathe". Até mesmo a maior série de todos os tempos consegue usar isso a seu favor. lembram do "a Noite é escura e cheia de terrores".?

 

 2. BICHO PAPÃO.

Cada um tem o bicho papão que merece, ou que criou na sua própria mente. Pode ser o Pennywise, o Chucky, o Babadook, ou até mesmo o Sully de Monstros S.A. Ele tem vários nomes. Pode ser um monstro, um espírito, um palhaço, um boneco. O Bicho papão é o esqueleto dentro do seu armário, o monstro debaixo da cama, o espírito da cozinha, a loira do banheiro. A Bruxa de Blair, O Exorcista, A Coisa são filmes que utilizam do medo do bicho papão em suas narrativas.

 

3. DOR.

Toda criança tem medo de sentir dor e esse medo muitas vezes se estende para a vida adulta. Normalmente começa no dentista, passa pelo medo de agulhas e culmina com a pessoa tendo medo de experimentar coisas novas. Quem já sofreu uma fratura exposta sabe que é uma experiência que ninguém faz questão de repetir. Muitos cineastas conseguem se conectar diretamente com essa fobia e usam-a em prol de seus filmes. Esses filmes são vulgarmente conhecidos como "Torture Porn", ou pornografia de tortura. Filmes como O Albergue, Centopéia Humana, Tusk, Jogos Mortais são exemplos de torture porn.

 4. ISOLAMENTO.

Crianças têm medo de ficarem sozinhas, de serem abandonadas, esquecidas, deixadas para trás. Quantas vezes quando era pequeno você já se desesperou porque se perdeu da sua mãe no shopping, ou porque achou que estava sozinho em casa? Graças a esse medo que conseguimos nos identificar tanto com o garoto de Esqueceram de Mim. Apesar de ser uma comédia, o filme usa o medo de isolamento para criar identificação instantânea com o personagem. Por mais que o filme seja divertido, aquele medo interno faz com que a gente tenha pena dele e torça para que a mãe dele volte logo. Quando a pessoa fica adulta, esse medo evolui para algo perturbador. Para ter uma idéia do quanto o isolamento é aterrorizante, imagine que em uma cadeia cheia de assassinos, estupradores e torturadores, o pior castigo que você pode dar a alguém é a solitária. A sensação de ser "o último" ou de estar sozinho é uma motivação bem comum. Assista Passageiros, ou O Iluminado para entender exatamente.

 

 5. DESCONHECIDO.

As pessoas temem aquilo que não conhecem. Magia negra, Extraterrestres, Espíritos desencarnados, demônios. Tudo aquilo que foge do nosso senso comum é imediatamente identificado pelo cérebro como uma ameaça. Isso é um mecanismo de defesa de todos os seres vivos da terra e é o que mantém as populações sob controle. chame de Auto-preservação. Algumas histórias brincam com o desconhecido, se recusando a oferecer muitas explicações. Explicações tornam o desconhecido em conhecido e acaba com o mistério. Mas quando você não sabe o que está acontecendo, sua mente começa a prever os piores cenários possíveis. Foi isso que Alice sentiu quando olhou dentro do buraco do coelho. Foi isso que Neo sentiu quando foi abordado por Trinity. O medo do desconhecido cria a busca por respostas e é isso que movem os personagens. É isso que te impede de entrar em uma "mansão mal assombrada". mesmo que não tenha um Bicho papão ali dentro, é justamente o desconhecido que aterroriza.

 

 6. PERDA DE CONTROLE.

Já sonhou que estava fugindo mas não saiu do lugar? Que estava se afogando mas não conseguia nadar? Esse sentimento de estar indefeso, de perder o controle é um dos maiores medos da humanidade. Nós, "serumaninhos" gostamos de pensar que temos a vida e o mundo sob controle, mas quando algo inesperado acontece, a sanidade vai pro chão. O maior ícone que representa esse medo é sem dúvida o Coringa de Heath Ledger. "Se amanhã eu dizer a imprensa que, tipo, um estuprador vai morrer, ou que um caminhão de soldados vai explodir, ninguém entra em pânico, porque é tudo 'parte de um plano'. mas basta eu dizer que um pequeno prefeito vai ser assassinado que todo mundo perde a cabeça!“ FIlmes como Tusk, Jogos Mortais e O Albergue brincam muito com esse sentimento de impotência.

 

 7. MORTE.

O medo da morte é ainda o maior fator de evolução das espécies. Pode-se dizer que é uma ampliação do medo da dor, mas na verdade é uma outra fobia completamente diferente. Pessoas são capazes de tudo para escapar da morte, para tentar ganhar mais tempo ou na busca pela vida eterna. Esse é a motivação de grande parte dos vilões do cinema. Veja um filme como Perdido em Marte, por exemplo. Matt Damon está perdido em marte (dã), sozinho. não existe bicho papão. Ele não teme o desconhecido, aliás, foi o desconhecido que o levou até ali. Ele não teme a dor, nem o escuro, mas é a vontade de continuar vivo que o mantém firme e forte, mesmo quando não há perspectiva de voltar pra casa.

 

Muitos filmes conseguem se conectar com dois ou mais medos para criar uma experiência extremamente aterrorizante. Alien combina o medo do escuro, com o bicho papão, com o medo da morte. Você pode e deve usar todos esses elementos a seu favor para conseguir dar ao seu público aquele momento inesquecível dentro do cinema ou da TV.

E você? O que achou dos sete medos fundamentais? Já os conhecia antes? Achou útil esse artigo? Então curta e compartilhe nossa página. Deixe seu comentário e diga quais os filmes que na sua opinião, conseguem explorar melhor esses medos fundamentais.

Please reload

O MELHOR PONTO DE PARTIDA

PARA NOVOS ROTEIRISTAS

Contato

Av. Bernardo Vieira de Melo, 2143 lj 07 

cxpst 023, Jaboatão dos Guararapes-PE

54410-010

roteiristaempreendedor@gmail.com

  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca Ícone Instagram

© Copyright 2015 Roteirista Empreendedor

Labonia Photo & Video LTDA. - www.roteiristaempreendedor.com

Contato Imprensa e Apoio - roteiristaempreendedor@gmail.com