Walk the Talk


Se você está envolvido no mercado comercial ou de empreendedorismo, com certeza já ouviu essa expressão, se não, vamos falar um pouquinho disso agora.


Existem dois tipo de pessoas no mundo. As que falam, e as que agem. As que falam, tendem a falar muito, mas pouco têm a mostrar. As que agem tendem a colher o fruto do seu trabalho e divulgam e comemoram seus resultados. Não há nada pior para uma pessoa que fala, ver uma pessoa que age tendo sucesso enquanto ela se vitimiza e tenta achar culpados pelo seu próprio fracasso.


Bom, a primeira coisa que eu tenho a dizer sobre isso é que não existe colheita sem plantio. Aqueles que muito falam tendem a ficarem sentados em frente ao computador reclamando. Os alvos são sempre os mesmos: o governo corrupto, a Ancine corrupta, as panelinhas, a globo. Tem sempre um espantalho pra pegar pra judas. Só que enquanto essas pessoas reclamam, outras estão fazendo e provando o erro desse discurso vazio. Quem faz, faz sob qualquer condição. Faz sob sol sob chuva, sob neve e granizo. Faz até quando não existem condições pra fazer, porque tocar o SEU trabalho é SUA responsabilidade e de mais ninguém. Então se você acha que para realizar o seu trabalho você precisa de políticos ou sindicatos, reveja seus conceitos.


A segunda coisa, é que RESULTADOS IMPORTAM. Sim. Eu já recebi milhares de mensagens de pessoas dizendo "Ninguém me dá oportunidade pra eu mostrar meu talento". Na verdade o que acontece no mundo real é o contrário. PRIMEIRO você mostra o talento e DEPOIS aparecem as oportunidades. As pessoas que fazem sabem disso e estão sempre exibindo seus resultados. As pessoas que falam nada fazem. Dá muito trabalho.


E dá muito trabalho sim, mas é o SEU trabalho. se você não o fizer, quem o fará por você? o governo? a ancine? a globo e as panelinhas?


Já passou da hora de colocar suas ações ode você coloca sua língua. Walk the talk, é o que isso significa. Faça o que você diz que faz e colha seus resultados, exiba-os com orgulho e mostre para o mercado. AQUI ESTOU EU! ISSO É O QUE EU POSSO FAZER!


Não aceite muitos elogios para não ficar convencidos, nem ignore todas as críticas para não ficar preso em uma bolha. DIVIRTA-SE com o que você faz. Filtre aquilo que lhe faz bem, que lhe alimenta com artista e jogue fora aquilo que lhe envenena, que tenta te puxar para trás. Não tenha raiva nem pena das pessoas que apenas falam. No fundo elas queriam ser você. ofereça palavras de incentivo e oportunidades para que elas possam mostrar seu talento. Se elas não quiserem, não há mais nada que você possa fazer. siga com seus projetos.


O cinema brasileiro passa por um momento de transição. Grandes produtoras e grandes players desceram de seus castelos e abriram suas portas para os roteiristas plebeus e adivinha o que aconteceu? Nós não estávamos prontos. Nossos projetos ainda tinham aquele fedor de guerrilha, sem apelo comercial, sem projeção de lucro nem de público. Por isso vemos sempre as mesmas pessoas vendendo seus projetos, porque elas entenderam desde o começo que cinema é um negócio.


Você pode fazer seu filme de arte, seu filme manifesto e até mesmo seu filme mudo com pessoas nuas plantando bananeira, mas só não pode reclamar porque o público não compareceu e por que seu filme não teve a atenção que você achava que merecia?


Não pense só em você. existe uma variedade infinita de pessoas e arquétipos lá fora que querem ver um cinema diferente desse que você quer produzir. Saiba identificar seu público alvo e comece a se comunicar com ele diariamente. Em outras palavras, encontre seu nicho.


Somos uma nação diversa e maravilhosa e se cada um fizer o seu, pensando no seu próprio retorno financeiro, pensando no seu próprio público, dá pra fazer cinema com todo mundo.


Não é uma competição.


WALK THE TALK.


Até a próxima.




O MELHOR PONTO DE PARTIDA

PARA NOVOS ROTEIRISTAS

fd11_Banner_220x220.jpg