Como Entrar em Contato com uma Produtora?



De acordo com a enquete publicada no nosso grupo de facebook, a maioria dos roteiristas iniciantes ainda têm problemas para entrar em contato com uma produtora e é sobre isso que vamos falar hoje.


Rio de Janeiro, eu tinha acabado de voltar de um curso de direção, já depois da faculdade. Tinha nas mãos um roteiro - na verdade vários roteiros, 9, pra ser mais exato. Uma temporada inteira de uma série. - e assim como vocês eu não tinha a menor idéia do que fazer com ele. A faculdade nunca me preparou pra essa parte da profissão.


Festivais de Roteiro ainda eram desconhecidos por mim, e sem muitas alternativas, eu parti pro desespero.


Uma amiga minha mencionou comigo que estava trabalhando como assistente de um grande nome da produção do cinema nacional. Eu pedi pra ela se era possível marcar uma reunião com ele. Tinha muito interesse em conhece-lo. Ela conseguiu.


Cheguei na casa do Produtor meio sem jeito, tímido. Ele me recebeu muito bem, me convidou a sentar, me ofereceu um café e mostrou um pouco das relíquias do cinema brasileiro que decoravam a estante de sua casa. Tudo fruto de uma carreira de produção.


Depois das devidas formalidades, ele sentou na minha frente, olhou na minha cara e soltou de forma direta. "O que é que você quer de mim?" Eu fiquei pálido na hora, meu sangue fugiu do meu corpo, mas vi que a única alternativa era ser tão honesto e direto quanto ele.


"Eu sou roteirista, escrevi uma série, mas na verdade eu só quero mostrar o que eu sei fazer." Joguei na frente dele uma pilha de roteiros, tinham umas 250 páginas, 9 episódios completos. Ele olhou pra minha cara e na hora eu pensei "Que merda que eu fiz. Nem fudendo que ele vai ler tudo isso." Fui embora me sentindo derrotado. Mais uma tentativa frustrada de tentar entrar no mercado de trabalho.


Quatro dias depois, minha amiga me liga. "O Produtor quer que você venha aqui na casa dele".


Cheguei lá, ele me recebeu com a mesma cordialidade de antes, senta, café, relíquias. E assim como da primeira vez, foi direto ao ponto. "Eu li e gostei. mas sou produtor de cinema. Vou te levar pra conversar com o diretor da parte de TV da produtora.


Me levou até a produtora enorme, onde sentei em uma sala de reunião com ele e o Sócio dele, que chegou, me cumprimentou e já foi logo dando o papo: O Produtor me falou de você, disse que você é bom, mas e aí? o que você quer?" Respondi na lata. "Quero um proponente pra inscrever o projeto da série na ancine, alguém que tenha cacife profissional pra atrair investimento. Eu já tenho equipe e elenco, todo mundo sedento pra trabalhar. Em troca eu ofereço 30% de toda a propriedade intelectual." Gelei. Os dois trocaram olhares e ele apertou minha mão. "Fechado. Fala com meu assistente que ele vai providenciar o contrato." E foi assim, assinei meu primeiro contrato profissional como roteirista.


Isso poderia ter acontecido com qualquer um, eu inclusive durante toda a minha vida tive todos a minha volta dizendo para "não fazer" alguma coisa e eu tenho certeza que você também tem. Dizem pra desistir, dizem que "não vale a pena", que "você não tem chance", ou o mais famoso "não é assim que a banda toca" Se eu tivesse escutado todas as vozes que me diziam pra desistir, eu provavelmente estaria bem longe de onde eu estou agora.


Mas não entenda isso como um sinal verde pra sair por aí metendo o louco como eu fiz. Hoje existem outros caminhos, muito mais fáceis que não estavam disponíveis pra mim na época. Mas o ponto dessa história toda, é que as vezes a gente tem que pensar fora da caixa, deixar a estagnação de lado e fazer aquilo que ninguém mais tem coragem de fazer. é aquela velha história: "a sorte favorece o audacioso"


Quer outro exemplo? Um antigo colega de faculdade escreveu um roteiro em sala de aula e depois que se formou, queria mostrar o roteiro para produtoras. Ele assinou IMDB PRO (o site te dá lista e contatos de profissionais e produtoras da indústria americana) e anotou contato de várias produtoras. Com os contatos em mãos, ele tratou de escrever um email simples e enviou a cada uma delas. O e-mail era algo tip assim:


"Uma menina criada para ser uma assassina profissional foge de seu isolamento para buscar a sua mãe. Você tem interesse nessa premissa?"


Ele enviou esse e-mail para mais de mill agentes e produtoras, mesmo sabendo que a esmagadora maioria não responde e nem aceita propostas não solicitadas. Dos mil e-mails, três responderam de forma positiva. Dos três, um fechou com ele e comprou os direitos do longa.


O ex-colega se chama Seth Lochhhead e o filme que ele escreveu se chama "Hannah", que recentemente também virou série.


Seth ficou conhecido na Vancouver Film School como um mito, alguém que conseguiu algo que poucos conseguem de uma maneira que ninguém tinha coragem ou paciência pra fazer e apesar de todo mundo dizendo que aquilo era inconveniente ou errado, ele foi lá e fez. Essa história me lembra uma frase "Confie nos seus instintos. Deixe que seus erros sejam seus e não de outra pessoa".


Muita gente se confunde no mercado brasileiro. Sempre me perguntam "Como eu faço pra vender meu roteiro?" Mas a verdade é que as produtoras não estão em busca de roteiros, estão em busca de roteiristas. Gente com know-how que consegue escrever em nível profissional dentro do prazo. Essa é a descrição de um roteirista de sucesso. Ao invés de tentar vender um roteiro, você tem que vender VOCÊ como roteirista. Mostre para o mercado, para as pessoas do seu interesse que você é capaz de escrever textos capazes de ganhar prêmios e movimentar pessoas. Quando você cria constantemente e tem resultados positivos, - acredite - o mercado presta atenção em você. Sabe por que? Por que tem MUITO POUCA GENTE no Brasil hoje escrevendo em nível profissional. Quando alguém encontra um roteirista bom, não quer mais largar.


Se você acha que tem um produto rentável nas mãos, coloque-o no circuito de festivais. Se ele for capaz de ganhar algo, ele tem potencial de mercado. se não, volte e refaça. Repita isso até conseguir ganhar. Repita algumas vezes pra mostrar que não é sorte de principiante e pronto. você começa a criar um nome como roteirista capaz de escrever em nível profissional.


Agora, algumas dicas de como prosseguir sem arriscar ser visto como chato ou inconveniente.


  • Pesquise as produtoras da sua cidade, do seu estado, do Brasil todo. Faça sua pesquisa, veja quem produz conteúdo parecido com o que você gosta de escrever. Cada conteúdo tem uma casa ideal e é SUA responsabilidade saber onde seu conteúdo se encaixa melhor.

  • Com isso em mãos, busque profissionais dentro dessas produtoras e os adicione nas redes sociais.

  • Participe de festivais e poste todas as suas vitórias e resultados positivos nas redes. Faça festa e comemore alto pra todo mundo ouvir. Deixe que seus amigos e familiares lotem sua postagem com desejos de parabéns e felicidades. acredite, esse tipo de postagem com alto engajamento viaja muito e chega nos olhos das pessoas que estão na sua rede de amigos.

  • Crie relacionamento com os produtores e profissionais que conhecer. Não seja o chato, seja a pessoa legal que está ali pra somar e não pra pedir. Crie amizades dentro do meio que você quer trabalhar.

  • Deixe seu trabalho acessível para que as pessoas leiam. Mantenha um blog, um podcast, tente ser relevante naquilo que quer fazer. Tenha algo seu que possa servir de portfolio e cartão de visitas. Não tenha medo de ninguém roubar suas idéias - isso não acontece - tenha vontade de ser lido. quem não é lido não avança como roteirista.

  • E se depois disso, mesmo assim ninguém se interessar ou pedir pra ver seu trabalho, mande e-mail ou mensagem para as pessoas apresentando seu projeto e seus prêmios. - acredite, um projeto premiado tem MUITO MAIS chances de ser lido do que um projeto cru. Se você manda um e-mail dizendo que tem um projeto que ganhou vários prêmios, o interesse das pessoas é maior.

  • Participe de Festivais e Rodadas de Negócio. É lá que você vai conhecer produtores e executivos de canais e plataformas exibidoras e apresentar seu trabalho. guarde bem esses contatos e não deixe eles esfriarem.

  • E por fim, NÃO SEJA BABACA. Se você é daqueles que briga por causa de política, que xinga quem discorda de você e que está sempre militando, talvez essa carreira não seja a ideal pra você. Ninguém quer trabalhar com gente babaca que causa problemas. Seja legal e gentil com todo mundo e eles voltarão pra trabalhar com você de novo.

Por fim, produtoras são apenas prédios e produtores são apenas pessoas. Você não está batendo nas portas do céu pedindo pra falar com Deus, você é um criador de conteúdo, você cria exatamente a matéria prima que eles usam pra fazer filmes. Pense nisso na próxima vez que for conversar com alguém e converse com a pessoa olho no olho, de igual pra igual. Sinceridade e transparência vão te levar longe!


Mas aconteça o que acontecer, não meça esforços pra buscar o que você quer. não escute quem te diz que é impossível. Se for pra falhar, falhe por sua própria conta e tenha a consciência tranquila, sacode a poeira e parte pra outra. Seu trabalho é se destacar no meio da multidão.


O MELHOR PONTO DE PARTIDA

PARA NOVOS ROTEIRISTAS

fd11_Banner_220x220.jpg